Ética nas organizações é o tema do curso que volto a ministrar na Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Este é o terceiro curso que dou na Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro sobre este tema. Trato da ética sob o ponto de vista de que ela é o fio invisível, no sentido de conjunto de valores, de estados mentais, que sustentam a sociabilidade. Este curso é uma parceria entre o LATEC/UFF e a ESAJ-TJ. Duas alunas do TJ que já fizeram este curso comigo vão fazê-lo novamente.

Anúncios

Viração avalia de maneira muito amável positiva nossa Roda de Conversa sobre a importância da Generosidade no fortalecimento das redes! Eu também agradeço queridos rea-sonho-listas!

Fico feliz com poder conversar com pessoas de todos os tipos, de pensamentos e organizações de vários matizes, que interessam-se pelo que penso e por minhas metodologias de mudança de atitude comunicativa, posicionando-nos para o Diálogo.

Netse sentido compartilho aqui a matéria que Gisella Hiche, desta organização preciosa que é a Viração, escreveu no site deles a respeito da recente Roda de Conversa que tivemos sobre Generosidade e Fortalecimento de Redes.   

“Viração: Grat@s Evandro Ouriques!

Gisella Hiche, da Redação (28/08/2008)

http://www.revistaviracao.org.br/artigo.php?id=1974

 

As
Rodas de Conversa da Viração são assim: senta-se em círculo, olha-se
nos olhos e compartilham-se conhecimentos de pessoas que, a seu modo,
buscam transformar nossa realidade. Elas começaram no dia 17 de abril
com o professor doutor Evandro Ouriques, da Escola de Comunicação da
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O pessoal gostou tanto
que pediu um bis.

Na última terça, dia 26 de agosto, o Evandro
veio, sentou-se no chão com as pernas cruzadas, em frente à bandeira
uypala e durante toda conversa chamou a atenção para o fato de estar
respirando.

Para acompanhar o Evandro, a gente teve que abrir
nossos corações para uma linguagem diferente a que nos habituamos.
Evandro articula muitos conhecimentos; acadêmicos, populares,
ancestrais. Ele reinventa posições, valores e afirma que somos “seres
portadores de linguagem, e quando se quer mudar, precisa-se mudar os
jogos de linguagem”.

Seguindo esta linha, ou melhor, espiral,
Evandro fala do tema Mídia, Mente e Ação – Seminário de Aprofundamento:
A Questão da Generosidade no Fortalecimento das Redes. Para ele, falar
em rede é falar do fluxo da vida. Resgatando a generosidade para
consigo mesmo, pode-se reentrar no fluxo da vida.

Evandro atribui
o bloqueio desse fluxo ao fundamento do pensamento ocidental, lá na
Grécia antiga, quando o homem passa a se considerar como algo fora da
natureza, quando o homem passa a se ver como cultura.

A explicação sintética que Evandro nos deu sobre essa idéia do homem se achar fora da natureza parece um pouco um exercício
de raciocínio lógico: “Quando eu não sou eu, você é o outro, quando eu
sou eu, você é eu”. Entendeu? Ou melhor, entendeu o que isso tem a ver
com redes e políticas públicas? É que a forma como abordamos essas
questões; os tais jogos de linguagem, gera um tipo de organização,
perspectiva e estratégia. O jeito como a gente se pensa no mundo diz
muito sobre como estamos efetivamente no mundo.

Evandro defende
que não existem corporações, mas pessoas com pensamento corporativo,
que não faz sentido usar o termo “direito à comunicação”, porque nós
somos comunicação, os meios de comunicação são nossas extensões. Menos
idéias e mais pessoas, isso é parte do resgate da generosidade e da
construção de políticas públicas sociais. Lembrando que políticas que
não são públicas nem sociais não são políticas.

Evandro propõe
uma libertação dos significados e termos que usamos sem refletir muito.
Por exemplo, faz algum sentido luta pela “inclusão”? Será que queremos
mesmo “incluir” pessoas em um modo de vida que é absolutamente
insustentável? Ou queremos transformar radicalmente o modelo, ou
“paradigma” da sociedade?

Evandro não pára, está seguindo o fluxo
da vida, o que às vezes contradiz nossos planos. Ele ainda nos faz
sentir a diferença de dizer “grato/a”ou “obrigado/a”. A roda vai se
finalizando, fizemos perguntas, abrimos espaço para considerar num
mesmo pensamento o budismo, a yoga, a linha “não-utilitarista” da
sociologia. Mais do que nos entregar na bandeja uma proposta sobre
“como fortalecer as redes da Viração”, ele compartilhou um pouco seu
jeito de ver e sentir a vida.

Tratarei nesta quarta do tema Esquizofrenia Social e Gestão da Mente Sustentável® no Encontros do Futuro, uma realização do NEF.PUC.SP, da Pós em Administração da PUC.SP e do GEPI-Grupo de Estudos e Pesquisa em Interdisciplinaridade.PUC-SP

O Núcleo de Estudos do Futuro da PUC-São Paulo, o Programa de Pós-Graduação em Administração.PUC-SP o GEPI-Grupo de Estudos e Pesquisa em Interdisciplinaridade.PUC-SP convidam para o próximo ENCONTROS COM O FUTURO, quando o Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques e a psicanalista Elza Araújo tratarão do tema Esquizofrenia Social e Gestão da Mente Sustentável, o primeiro tema de um livro da psicalista e o segundo a metodologia criada pelo especialista em Comunicação em 2005.

A relação com as mudanças aproxima os estados mentais (pensamentos, perceptos e afetos) do presente ao imaginário do futuro, e nessa ponte mental-temporal, constróem-se os caminhos que podem persistir na insustentabilidade ou bem conscientizar e mobilizar o cidadão e a sociedade para o bem comum. O re-encontro do especialista em Comunicação Evandro Vieira Ouriques com a psicanalista Elza Pádua tem como objetivo aprofundar nossa reflexão, e aprimorar nossa sensibilidade para avançar no diálogo entre o subjetivo e o objetivo , o individual e o coletivo, na construção de um futuro sustentável.

Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques

Criador do método GMS-Gestão da Mente Sustentável®: o Quarto Bottom Line (2005) é fundador e responsável pelo NETCCON-Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência da UFRJ. É cientista político, jornalista, gestor cultural, terapeuta de base analítica e escritor, atua também no campo das relações entre comunicação e políticas públicas sociais; bem como Diretor de Comunicação e Cultura do NEF.

Convidada Especial: Elza Pádua

Especialista em Psicologia e Comunicação Social e Autora do livro “Esquizofrenia Social”,  Elza revela o ser contemporâneo à luz da psicanálise, em sua dicotomia e fragmentação.

27 de agosto de 2008  –  das 9h às 12h
Auditório Banespa – Rua Ministro de Godói, 965 – Térreo [ao lado da Biblioteca]
VAGAS LIMITADAS
Inscrições gratuitas através do site http://www.nef.org.br <http://www.nef.org.br/>                      
Informações pelo telefone 2604-8650 ou nef@nef.org.br <mailto:rosarizzinef@yahoo.com.br>

 

Ética e Filosofia na Administração é meu tema de curso no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro



A convite do LATEC-UFF e da Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro inicio nesta quarta, dia 4, no TJERJ, uma série de sete palestras interativas, com multimídia e dinâmicas), a respeito de Aspectos Éticos e Filosóficos da Administração.

É segunda vez que ministro este curso no TJ, sendo que a primeira edição dele teve um resultado excelente.

Carinhosa-Mente,
Evandro

Neste final de semana conduzirei o curso Conversa: uma experiência de aprendizagem. Uma parceria com a Rebouças&Associados, promovida pela ABERJE.




Queridos amigos e amigas, colegas,

Venho compartilhar que nesta sexta e sábado estarei conduzindo em Itatiaia, juntamente com Nádia Rebouças e Paulo Monteiro, um curso especial que criamos e que é promovido pela ABERJE-Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, a respeito do tema Conversa: uma experiência de aprendizagem.

Acima é possível ler a nota que Flávia Oliveira, que assina a coluna Negócios & Cia, de O Globo, publicou esta semana sobre o curso.

O foco é que através de uma conversa bem posicionada e franca podemos construir relações verdadeiras, que nos ajudam, nos fortalecem e nos capacitam para lidar com as infindáveis transformações do mundo atual.

São dois dias dentro do Parque Nacional de Itatiaia em palestras, imersão multimídia, vivências de sistemas ancestrais de comunicação, práticas de criatividade, construção de cenários e várias surpresas, ou seja, um conjunto de recursos desenvolvidos durante os dois anos mais recentes e já testados e aperfeiçoados em corporações como Grupo Rede-CELPA, Light e Vale e em múltiplas organizações do Terceiro Setor por todo o país.

Nosso público alvo nesta experiência de aprendizagem são Gestores de Comunicação, Marketing e Recursos Humanos, em especial: profissionais que querem aprofundar e ampliar seus conhecimentos, trabalhar a conversa em nível consciente, para a construção de relacionamentos e decisões de maior qualidade.

Muito carinhosa-mente,
Evandro