Trocando e mediando Idéias no Viva Rio para abaixar a máquina entre fotógrafos do conflito urbano





Ontem tive a oportunidade de mediar a mesa do Trocando Idéia do Viva Rio, organizado por Samira Rabelo, sobre o filme Abaixando a Máquina: Dor e Ética no Fotojornalismo Carioca, que trata das questões de quem fotografa nas áreas de conflito urbano em nossa cidade.

A mesa foi composta pelos fotógrafos (da esquerda para a direita, na foto) Walter Mesquita, do Viva Favela, Nilton Claudino, Deise Lane, do Viva Favela, Domingos Peixoto, pelos diretores do filme Guillermo Planel e Renato de Paula, que nos honram sendo nossos alunos de Jornalismo de Políticas Públicas Sociais, e por Wânia Corredo e eu. No centro da imagem está Samira Rabello, coordenadora do Programa de Voluntariado do Viva Rio.

Pela primeira vez foram tocados entre eles pontos importantes das tensões existentes entre a experiência dos fotógrafos que atualmente entram nas comunidades acompanhando a polícia e os fotógrafos das comunidades que os vêem entrando.

Importantes questões começaram a ser tratadas, como por exemplo o uso do colete e a leitura que as comunidades fazem deles quando portados pelos fotógrafos dos grandes jornais. Várias tensões, inclusive muito pessoais, foram expostas, de certa forma algumas resolvidas e outras ganharam perspectivas de encaminhamento. O diálogo se estabeleceu.

Vamos continuar a aprofundar este processo na ECO no próximo semestre, dedicando-lhe uma das palestras de Jornalismo de Políticas Públicas Sociais, lembrando fizemos o lançamento deste excelente filme como uma atividade externa deste nosso curso em dezembro passado.

Carinhosa-mente, Evandro

Anúncios